Vocal UFC

Grupo vocal formado em 2012 como ação de extensão do Curso de Música - Licenciatura da Universidade Federal do Ceará, Campus Sobral, reunindo alunos da instituição, de outras universidades e da comunidade em geral.

Site: https://www.facebook.com/vocalufc

E-mail: vocalufc@gmail.com

Telefone Público: (88) 99912-6163

Endereço: Estanislau Frota, s/n, campus Mucambinho, Centro, 62010-560, Sobral, CE

CEP: 62010-560

Logradouro: Estanislau Frota

Número: s/n

Complemento: campus Mucambinho

Bairro: Centro

Município: Sobral

Estado: CE

Descrição

Criado em março de 2012 como um projeto de extensão ligado ao Curso de Música – Licenciatura da Universidade Federal do Ceará, Campus Sobral, o grupo Vocal UFC surgiu da necessidade de se fazer arte cantada de uma forma criativa. Sob a coordenação de Simone Sousa, o grupo conta com 20 integrantes, entre alunos da Universidade e cantores da comunidade, e tem o objetivo de representar a instituição dentro e fora da cidade de Sobral. Seu repertório é essencialmente brasileiro e nordestino, abrindo espaço também para o cancioneiro universal. Com arranjos a cappella ou acompanhados por violão e percussão, os espetáculos do grupo resultam de um processo de pesquisa sobre as várias possibilidades para o Coro Cênico, mescla de linguagens que envolve Música e Artes Cênicas.
Em seu curto tempo de existência, o Vocal UFC vem se destacando no cenário cultural local, tendo apresentado em diversos eventos e espaços culturais de Sobral, a exemplo do Theatro São João, importante patrimônio histórico e cultural do estado, e de outras cidades da região, como Viçosa do Ceará (Festival Música na Ibiapaba 2013), Ibiapina (SESC) e Ipu (V Simpósio de Ipu, 2013), além de apresentações em Fortaleza, São Luís e Teresina. Além disso, o grupo esteve presente na I Conferência Internacional de Educação Musical de Sobral – CIEMS (2013), apresentando um esquete musical que deu origem ao seu primeiro espetáculo.
Primeira montagem do grupo, o espetáculo Atabaques, violas e bambus estreou em janeiro de 2014 no Theatro São João. Inspirado na poesia de Paulo César Pinheiro, a montagem tem por tema a riqueza da sonoridade brasileira a partir das três matrizes étnicas que a compõem: o indígena brasileiro, o branco europeu e o negro africano. Em quinze canções, o grupo traça um panorama musical da formação cultural do povo brasileiro, mostrando um pouco do Brasil, cantado em baião, samba, maracatu, toada e outros gêneros tão característicos da nossa diversidade musical. O espetáculo foi reapresentado no I COrpoRAL – Festival de Coro em Cena (2014), em Sobral, produzido pelo próprio grupo; no Encontro Regional Nordeste da Associação Brasileira de Educação Musical, em São Luís (2014); dentro da programação da Semana de Integração da Música, produzido pela Universidade Federal do Ceará em Sobral, e no Programa Teatro das Terças, promovido pela Escola de Comunicação, Ofícios e Artes de Sobral - ECOA, ambos em 2015. A montagem do espetáculo e a produção do I COrpoRAL foram, ainda, contemplados pelo X Edital de Incentivo às Artes, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará.
Canto de porões e alforrias (2015), segundo espetáculo do grupo, conta um pouco da história da abolição da escravidão no Ceará a partir da figura histórica de Chico da Matilde, mais conhecido por Dragão do Mar. Símbolo da resistência popular cearense contra a escravidão, o Dragão do Mar tornou-se ícone do movimento abolicionista no estado quando, em 1881, três anos antes do Ceará se tornar a primeira província brasileira a abolir a escravidão, recusou-se a transportar para os navios negreiros os escravos vendidos para o Sul do País. Partindo deste percurso histórico, o espetáculo é conduzido por canções compostas por Fernando Rosa e Alan Mendonça que costuram a narrativa, discutindo conceitos como liberdade e escravidão nos dias de hoje. Canto de porões e alforrias teve sua estreia em julho de 2015, dentro da programação da II CIEMS e II COrpoRAL, sendo reapresentado no aniversário do Theatro São João e em temporada realizada no mês de setembro do mesmo ano. Em 2016, foi reapresentado no Encontro Regional Nordeste da Associação Brasileira de Educação Musical, em Teresina; em temporada no mês de junho no Theatro São João e também dentro da programação do projeto Sobral Cidade das Artes, produzido pela ECOA.
Com estreia no final de 2017, o espetáculo Algodões narra a história do rompimento da barragem de Algodões I, em 2009, que atingiu a cidade de Cocal da Estação, no Piauí, fazendo desaparecer pequenas propriedades, casas, animais, plantações, e causando a morte de inúmeras pessoas, que tinham recebido autorização oficial para retornar às suas casas poucos dias antes do rompimento. O grupo baseou-se em uma canção para iniciar o processo de construção do espetáculo que narra essa história: Algodões, do compositor cearense Fernando Rosa. Além disso, o espetáculo conta com canções de outros compositores locais, tais como Zeca Filho, Neirton Filho e Raul Xavier.

Vídeos

Galeria

evento entre e Baixar Planilha

Publicado por

Manoel Messias

Graduando em Música pela Universidade Federal do Ceará, violonista e professor na Escola de Música de Sobral, onde atua desde 2014 ministrando aulas de violão e práticas de conjunto voltadas a este instrumento. É também ator da Cia do Batente e diretor cênico e cantor do Grupo Vocal UFC.

Nome:

E-mail:

Tipo:

Mensagem:

Enviando mensagem

Enviando mensagem